Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Lindo dia dos namorados Português




Estes testemunhos da tradição portuguesa foram-nos deixados pelas moças que, quando estavam próximas da idade de casar, confeccionavam os seus lenços bordados a partir de um pano de linho fino ou de um lenço de algodão, e que posteriormente iam ter às mãos dos “namorados” ou “conversados”. E era em conformidade com a atitude destes os usarem publicamente ou não, que se decidia o início de uma ligação amorosa.

O ponto cruz parece ter sido o ponto original destes lenços e por isso a sua confecção era muito morosa, levando por vezes semanas e até mesmo meses de serões pacientes no fabrico de uma fantasia que para a bordadeira era única, pois nele iam os seus sentimentos amorosos mesmo que indecifráveis para quem de fora os pudesse olhar.

Estes lenços traduzem os mais variados sentimentos, quer manifestados através de símbolos que se prendem com a fidelidade – na pomba e no cão, a ligação amorosa do par de namorados – na silva (prisão amorosa) e na chave (união de corações), quer religiosos que referem o acto específico do casamento – a cruz, o vaso, a custódia e o candelabro.

Tudo era feito em função da fantasia das fantasias – o Amor – e ele de facto parece ser a causa directa desta exuberante manifestação.


14de fevereiro de São valentim

Beijos cor de rosa
Há todos namorados
Há todos que AMAM
Graça S ( Dushinka)

Lonas cor de rosa






Lonas rosa


No caminho da sorte, alma perdi
Dei um beijo na morte e sobrevivi

Mas perdi meu medo
A viver aprendi
Fiz do mundo mundo meu palco, do sol minha luz
Pra fazer meu circo usei minha cruz
De um pedaço de ceú , fiz as lonas rosas


Aprendi que nem sempre é feliz quem procura
Que a vida mais fácil também é mais dura
Que a estrada mais curta é também a mais escura
A prendi que na descida, mais forças ganhar
Pra chegar na subida e não desanimar
Sou da vida uma artista, ganhei meu lugar
Beijos cor de rosa


Graça S

Um novo amanhecer




Em vários encontros e desencontros,surge a esperança,a cada momento em seu intímo.


mesmo que esteja entrando naquela casa vazia cheia de poeira, com lembranças a lhe rodear, seu olhar rodeia todos os espaços que nela esta.


Entre o desespero de não saber ao certo qual passo a dar. Em sua alma tem a certeza que encontra o que sente , sua alma gémea.


Entre desvaneios, loucuras, risos, mesmo que sejam somente acalaentando o seu sufocar de tristezas, ela mesmo assim traz dentro de sim a felicidade, com a esperança.


Um corpo de mulher, com traços perfeitos de maternidade, em sua alma uma crinaça.


Uma leveza em seu ser com ar de peso em sua vida.


Buscar apenas retirar a dor causada ao longo do tempo.

Beijos cor de rosa

Graça S.


O Fixar de um Olhar






O recomeçar de uma mulher é como expirar de vento,ao soprar as folhas de uma árvore que caem ao chão.
Deixando suas marcas se espalharem por todo ar.
Ao Desperta de uma linda noite olha-se para o espelho fixa-se os olhos,em sua memória vem,inúmeras interrogações
Olha com muita subtileza e profundidade, observando que em sua face tem expressões do tempo,em seus cabelos, um nuance de neve a lhe preocupar.
O que mais lhe deixa impressionada são as lembranças de seus sonhos que ao longo do tempo se perderão, e não havia se dado conta .
Quando por segundos ativa seu consciente, percebe que ,ela havia se perdido dela mesma, e ao mesmo tempo abandonado ela própria. Isso lhe causa uma profunda angústia, trazendo um dor em seu peito .
Ao seu redor sobram vestígios de um mundo apenas imaginável, não real , uma personagem que trazia as marcar dele que ela mesma havia colocado, junto uma culpa interminável , que nunca abandonava, assim deixando sempre um grande conflito interno em seu ego, id e super .
O que resta agora as marcas? o conflito ? as dores ? as culpas?
Tendo que duelar , em cada momento , em cada instante de sua vida, sem excitar, esse era o preço de uma superficial de una rosa crava de marcas em suas pétalas, seus espinhos, retirados.
Beijos cor de rosa
Graça S

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Carnaval


Carnaval
A mais bela história de amor Pierrot e Columbina
Tantos carnavais já passaram em nossas vidas,e tanto estão por vir.........
Tiremos nossas máscaras após este Carnaval, adentremos a fantasia da vida, buscando nosso Pierrot, ele se encontra talvez bem próximo, ou quem sabe distante .
O que não deixemos passar e nossa Festa dentro de nós, onde encaramos dia a dia todas as fantasias que nossa vida pede.
Se caso encontrou um Pierrot que apenas lhe faz ser a Columbina entristecida........
Jogue o lenço cheio de confete fora , porque o Carnaval dele já passou.
De a vc mesma uma oportunidade de ser a belas a desfilar na passarela, onde vc vai balançar a Sapucaí................
Belo Carnaval
Beijos coloridos com muitos confetes, (somente neste Carnaval.kkkk)


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

RCOMEÇAR





Recomeçar


Sempre é tempo, para fazer tudo que guardamos a muito tempo em nosso íntimo, onde somente nós sabemos .
Buscar onde pensamos ter perdido, reinventar, costurar todas as linhas para construir nossa colcha , onde marcamos no livro da vida.
Cada linha tem sua cor , sua medida, com elas construímos o mais belo bordado *A VIDA*.
Como mulheres vivemos bordando, que por vezes as linhas se embaração dando nós, com toda a paciência vamos desfazendo cada nó, para chegar em nosso bordado.
Construa o seu e depois juntas poderemos mostrar aos nossos futuros netos.
Beijos cor de rosa com um belo bordado hoje de ponto cruz.
Graça S